INFÂNCIA, VELHICE E MAUS-TRATOS: UMA REFLEXÃO DESSAS RELAÇÕES SOB O OLHAR DA BIOÉTICA

Francisco Pascoal Jr, Bruno Luiz Guidolin, Hérika Juliana de Araújo Lucena, Alfredo Cataldo Neto

Resumo


Objetivos: apresentar uma visão geral e reflexiva das semelhanças e diferenças psicossociais, bioéticas e epidemiológicas entre maus-tratos na infância e maus-tratos na velhice, trazendo uma atualização ampla da literatura por meio da caracterização dos tipos de violência, do perfil do agressor, fatores epidemiológicos, entre outros, tendo como base a legislação vigente. Fontede dados: SciELO, LILACS, PUBMED e PsycINFO. Resumo das conclusões: foi possível obter uma amostra de 637 artigos inicialmente. Levando em conta os critérios de inclusão e exclusão, verificou-se que a amostra compatível com os critérios adotados foi reduzida a 37 artigos. Após a realização da seleção, restaram 9 estudos, sendo que estes foram realmente utilizados para comporem a amostra final. De uma forma geral, tanto a violência contra o idoso quanto à criança apresentam semelhanças em relação ao agente agressor, sendo este especialmente o ente familiar, caracterizando-se assim como uma violência doméstica. Esta violência tem tomado proporções alarmantes, e deve ser encarada por todos como um problema de saúde pública, carente de políticas públicas e de uma atuação mais incisiva de toda a sociedade civil. 


Palavras-chave


Maus-tratos. Violência contra o idoso. Violência contra a criança. Bioética.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18308/10.18308/2318.9983.2018.2.97

Apontamentos

  • Não há apontamentos.